quinta-feira, 16 de junho de 2011

Quando me aperta o sentimento

Não vá embora de mim, não se camufle, não fique quieto, não seja neutro, não deixe que eu pare de me lembrar de você, com a rotina e correrias me alugando. Preciso da lembrança ainda para viver e as lágrimas limparem meus olhos, eu respirar fundo, olhar para o alto, sentir aquela saudade, me perguntar por que, a lágrima cair e molhar meu colchão, esfriando meu lençol de seda. Me deixando um pouco culpada, achando injusto. Querendo sua amizade, convivência e certeza de volta.

Ah, Sei Lá... <3

2 comentários:

Guilherme disse...

Agradeço a gentileza e a visita. Seja bem vinda à Ilha. Gostei aqui do teu canto... voltarei mais por aqui! ;)

Beijos...

Guilherme disse...

Lembrança é perfume que fica nas mãos. Cabe lavá-las ou não.