domingo, 28 de novembro de 2010

Desalento

Por que as pessoas que amamos e que queremos seriamente a atenção para falar com detalhes das razões pelas quais elas nos magoam, simples assim, elas nos ignoram? Ou melhor... Se ouvisse pelo menos tudo o que tenho para dizer e se calasse... Mas apenas me dá as costas, o silêncio, o frio, o choro, a revolta.
E fico esperando o tempo passar, por mais que eu saiba que meu lugar não seria onde desalenta fiquei. Eu realmente queria poder ter o sangue frio, a garra, corpo e mente em sintonia para quando amanhecesse, saber que você pensou sério pelo menos dois segundos no que eu tentei diversas vezes te falar. De como isso me dói, de quanto isso me deixa triste e estranhamente conformada com algo que não deveria, por não poder fazer quase nada a respeito. Falta de confiança, de diálogo, de carinho em quase todos os momentos em que você me dirige a palavra, eu ainda espero que isso um dia mude.

2 comentários:

Daniel Magalhães disse...

Olá Jaqueline,


Esse desalento eu conheço bem... acho que todos vão conhecer, uma hora ou outra.

Gostei do seu diário!
Estou seguindo.

vi que vc faz jornalismo na UEPB, mas pela sua foto não consegui identificar.
Adiciona aí pra gente trocar uma idéia;

caboclo.sonhador@hotmail.com

;)

Geovanni Garcia Ferraz disse...

Como sempre,muito profunda e verdadeira naquilo que eescreve


Parabéns por mais este post,Jaqueline